A gente sempre quer colocar o guarda-roupa inteiro na mala na hora de viajar com medo de não ter o que usar, né? Mas, muitas vezes, a gente leva muitas roupas e acaba não usando nem metade. Às vezes, só percebemos que levamos roupas que não combinam entre si ou que não são apropriadas para o clima quando chegamos no local.

Como vocês sabem, eu viajo muito, e, depois de tantas experiências, acabei aprendendo algumas coisas básicas para não errar e não passar aperto durante a viagem. A ideia é criar uma mala funcional, prática, e que atenda as suas necessidades sem exageros. Aliás, a gente precisa de um espaço para trazer as comprinhas, né?

1. Antes de tudo, você tem que considerar o clima do local para onde você vai e os programas que vai fazer por lá. Mesmo sabendo a estação em que o país se encontra, é sempre bom dar uma pesquisada de como estão sendo os dias por lá. Existem lugares em que, mesmo no verão, as noites são frias.

2. Depois de verificar o clima, pare para pensar nos programas que você deseja fazer por lá – as suas roupas e sapatos também vão ter que se adequar a eles.

3. Agora é hora de pensar no tempo que você vai ficar por lá. A regra é clara: uma viagem de um mês exige muito mais peças do que uma viagem de uma semana.

4. Para começar a montar a mala, deixe tudo à sua vista. Se você pegar do armário e já colocar dentro da mala, você vai acabar perdendo a noção do que está ali dentro. Faça uma pré-seleção das peças e coloque todas em cima da cama, de modo que seja possível ver todas.

5. É hora de começar a escolher as peças de vez. E, para isso, existem algumas coisas que a gente não pode deixar de lado.

  • Escolha sempre peças que combinem entre si. Um bom modo de fazer isso é: escolher uma peça de baixo (short, calça ou saia) e a partir dela, escolher três partes de cima que combinem com ela. A quantidade varia, é claro, de acordo com o tempo da sua viagem, como falamos ali a cima. Mas, que tal pensar assim: escolha
    uma blusa para cada dia que você vai passar lá e, para cada três blusas, escolha uma parte de baixo que combine. Se você colocar um vestido ou macaquinho, tire
    uma blusa. Se você colocar três, tire três blusas e uma parte de baixo.
  • Para os sapatos, escolha modelos diferentes, sempre de acordo com o clima e os programas. Por exemplo, se você vai para um lugar quente, pegue um chinelo, uma rasteirinha mais incrementada, uma sapatilha ou uma sandália. Se o lugar é mais frio, opte por um tênis, uma bota, e um sapato fechado de salto. Não se
    esqueça de combinar com as roupas! Ou seja, o melhor é escolher peças de cores neutras.
  • Para locais frios, escolha três opções diferentes de casacos. Um sobretudo, uma jaqueta ou moletom e um casaco de lã ou tricô são uma boa pedida. Se tiver muito frio, dá pra usá-los juntos.
  • Você já vai levar uma bolsa com você durante a viagem – e, provavelmente uma grande, para prevenir todas as emergências que algumas horas de avião, carro ou ônibus podem proporcionar. Leve só mais uma, de tamanho menor, na mala, para te salvar naqueles dias em que você vai sair e só precisa levar a carteira e o celular. Aqui, vale a mesma regra da cor neutra para combinar com as roupas.
  • Acessórios não ocupam tanto lugar na mala, mas é sempre bom lembrar que você provavelmente vai comprar alguns por lá (a gente acha um anel ou um colar baratinho em todo lugar, né?). Aliás, pra que levar mil acessórios, se você não vai usar?
  • Para montar uma nécessaire também existem algumas regrinhas que podem ajudar. Não é preciso levar mil opções de bases ou de sombra para ficar bonita. Leve a sua nécessaire básica: aqueles produtos que você usa no dia a dia. Para incrementar e poder adaptar o make para a noite, coloque uma base de cobertura mais pesada, sua paleta de sombras preferidas, um iluminador e três opções de batom de cores diferentes.

6. Para terminar, aqui vai uma dica que eu já dei no post da Disney, mas vale a pena lembrar: se você for viajar no intuito de fazer muitas compras, leve uma mala vazia. Assim, você vai ter espaço de sobra para guardar as coisas novas e não vai precisar gastar dinheiro com outra mala por lá caso o espaço acabe.

Para montar um bom lanche para viagem de ônibus é preciso conhecer algumas características de alimentos e refeições que devem ser priorizados nesse momento.

Valorize sempre o consumo de lanches leves e nutritivos, sem grandes concentrações de gordura ou alimentos que podem estragar quando estiver fora da geladeira. Dessa maneira, você diminui o risco de apresentar alguma indisposição ou mal estar durante a viagem.

Sanduíches naturais

O sanduíche natural feito em casa é a melhor opção para levar em viagens longas. Monte para você e sua família algumas opções de sanduíches feitos com pão de forma integral, queijos leves (como a ricota, o queijo minas ou mussarela), frios (como o peito de peru) ou carnes desfiadas e alguns acompanhamentos como cenoura
ou tomate.

Evite usar maionese ou outros produtos gordurosos que podem estragar ao ficar fora da geladeira. Não é recomendado também acrescentar folhas, como a alface ou a rúcula, se você não tem um recipiente térmico para transportar esses lanches, já que elas podem ficar murchas e estragar o sabor do sanduíche.

Frutas frescas e desidratadas

Frutas são ótimas opções nutritivas de lanches para viagens de ônibus, já que são práticas de transportar e comer. Prefira àquelas que você pode consumir sem o auxílio de uma faca, como a banana, a pera, maçã ou goiaba.

Frutas desidratadas também são opções interessantes de lanche para levar na mochila. Uvas passas, chips de maçã ou banana e damascos desidratados são ótimas alternativas.

Snacks rápidos e leves

Alguns snacks rápidos e leves também podem ser boas opções de lanche para viagens de ônibus. Porções de oleaginosas (castanha-do-pará, amendoim, amêndoas), cookies integrais, barrinhas de cereal, biscoito de polvilho e torradinhas integrais são lanches simples e fáceis de transportar.

Água e sucos nas viagens

Nunca se esqueça de levar uma garrafa de água e uma de suco para beber durante a viagem. Usar garrafas térmicas para armazenar essas bebidas pode ser uma boa ideia para manter as bebidas geladinhas.

Evite levar bebidas alcoólicas ou refrigerantes durante as suas viagens para não haver o risco de apresentar indisposição no meio do caminho.

1. Presentes
Compre alguns brinquedos pequenos ou até mesmo guloseimas como balas e doces para os pequenos – eles adoram. Desembrulhar cada item irá mantê-los ocupados por bastante tempo.

2. Comida
Essa é uma das nossas principais fontes de entretenimento. Faça pequenos lanches que levem bastante tempo para serem consumidos.

3. Pintar
Imprima desenhos divertidos e deixe-as colorir. Essa pequena diversão é capaz de ocupar algumas horinhas de viagem.

4. Fotos
Dê uma “responsabilidade” divertida para eles. Deixe com eles a câmera e nomeie-os fotógrafos dessa parte da viagem. Caso ainda não tenham idade para manusear o equipamento, uma câmera de brinquedo pode funcionar.

5. Livros
Há muitos livros infantis sobre quase todos os destinos. Além de entretê-los você irá fazer com que eles se interessem pelo local a ser visitado – quando eles chegarem e verem com os próprios olhos alguns dos lugares da história ficarão realmente animados.

6. Conforto
Separe o pijama favorito ou as roupas mais confortáveis ??para ajudar seus filhos a dormirem. Não se esqueça de uma muda de roupa para o caso de acidentes, tampouco de chupetas extras, cobertores especiais, entre outros itens – tudo conforme a idade.

7. Vídeos
Use um aparelho de DVD portátil, laptop ou o próprio celular. Assistir vídeos é uma ótima distração para a criança.

8. Malinha da diversão
Proporcione aos pequenos fazer uma pequena malinha de viagem. Incentive-os a preenchê-la com suas próprias escolhas de jogos, brinquedos e diversões.

9. Show de talentos
Nada melhor do que cantar para passar o tempo. Se você estiver viajando de carro, pode criar uma competição para ver quem canta melhor. Caso tenha filho pequeno, é melhor cantar suas músicas favoritas junto com ele.

10. Brincadeiras antigas
Brincadeiras antigas de viagem também são ótimas opções. Por exemplo, todo mundo escolhe uma cor e cada pessoa conta todos os carros que passam nessa cor. Quem alcança um número X de carros primeiro ganha.

11. Use a imaginação
Que tal usar esse tempo para criar algo entre vocês? Elaborar uma história cheia de detalhes e escrevê-la pode ser uma ótima forma de passar o tempo e entreter seus filhos. Depois é possível grampear as folhas e torná-las o primeiro livro da família.

Às vezes ficamos tão empolgados com passeios, em conhecer pessoas novas, lugares bonitos que saímos para passeios longos carregando apenas a máquina fotográfica para registrar todos os momentos e nos esquecemos de cuidados básicos como a hidratação do nosso corpo.

Um ser humano adulto necessita de 2 a 3l de água por dia, para manter o equilíbrio dos fluidos do corpo. A água tem uma importância fundamental para o organismo humano, porém um dos seus mais importantes benefícios é o de manter a temperatura corporal durante caminhadas e ou exercícios prolongados.

Você pode manter seu corpo hidratado consumindo além de agua natural, chás, água de coco, sucos e mates, durante o decorrer do dia. No intervalo das refeições e durante passeios ou atividades físicas.

  • Saciedade: beber um pouco de água antes das refeições faz com que o líquido se acomoda no estômago diminuindo a o espaço disponível para ao alimento, ou seja, provoca uma maior saciedade com a ingestão reduzida de alimentos.
  • Menor risco de constipação: a água facilita a movimentação dos alimentos digeridos pela lubrificação das paredes intestinais, regulando o funcionamento intestinal.
  • Dificulta a formação de cálculos renais: as toxinas do organismo humano, são eliminadas em sua maioria pelos rins, com a ingestão regular de água os rins funcionam normalmente e dificultam a deposição de substâncias que formam os cálculos renais.
  • Controlar a pressão sanguínea: alterações no equilíbrio de íons como o sódio e a água interferem diretamente na regulação da pressão arterial, ou seja, quando a ingestão de água é insuficiente o organismo tende a retê-la e com isso, o sódio também é retido elevando a pressão arterial.
  • Hidratação: a pele necessita ser hidratada para se manter firme e não sofrer com flacidez e ressecamento, da mesma forma os olhos também necessitam ser hidratados.
  • Maior resistência física: durante os exercícios físicos muita água e sais minerais são perdidos pelo suor, por isso é necessário repor bastante líquido para prevenir posteriores cãibras.
  • Diminuição dos riscos de infarto: o sangue é capaz de circular pelo organismo com maior facilidade quando seu volume está ligeiramente maior, facilitando a diluição de substâncias, difusão de nutrientes e oxigênio para os tecidos reduzindo riscos de infarto.

Não se esqueça que uma boa alimentação e uma boa noite de sono também fazem a diferença para poder aproveitar mais o dia.

Arrumar as malas sem esquecer as roupas para calor e frio, preparar as comidinhas, os remédios, programar o melhor horário para dormir e enfrentar o voo com tranquilidade. Embarcar em uma viagem com crianças pode ser muito divertido e deixar boas lembranças, mas também se tornar um pesadelo caso os pais não tomem
alguns cuidados.

1 – Não exagere na mala

Um dos maiores erros dos pais, principalmente os de primeira viagem, é levar muita coisa. O cuidado com a bagagem deve ser acentuado já que as companhias aéreas cobram taxas para excesso de peso. No aeroporto, a bolsa de fraldas conta como mala de mão, mas assegure-se de que está carregando tudo: lenços umedecidos, chupetas, lanchinhos, muda de roupas, sacos plásticos (para fraldas e se alguma roupa sujar muito), fones de ouvido, brinquedos, baterias extras, tablet, etc.

2 – Segurança em primeiro lugar

Para as crianças mais ativas e que podem se perder, uma boa ideia é etiquetar os pertences com seu nome e telefone. Em muitos casos, também pode valer a pena investir em um rastreador GPS, colocado junto ao pulso ou à mochila da criança.

3 – As comidinhas do bebê

Diversos aeroportos permitem que leite materno e comida de bebê sejam transportados em vasilhas com mais de 100 ml. Os frascos são normalmente abertos para passar pela segurança, mas isso leva apenas alguns segundos e não contamina a comida. Portanto, vale a pena checar como é o procedimento no aeroporto em que vai embarcar.

4 – Explique a viagem

Se seu filho não está acostumado a voar ou a viajar em geral, então vale a pena conversar com ele sobre isso. Explique o que e quando tudo vai acontecer, como os cuidados com o cinto de segurança, por exemplo.

Veja o que levar para se prevenir contra os apuros longe da farmácia

Calça, blusa, biquíni, sapatos, colares, meias: a lista indica que, desta vez, você não esqueceu nada e vai conseguir curtir a viagem de férias sem muitas complicações. Mas existe um item que precisa estar incluso na sua mala de viagem e que, quase sempre, é deixado para trás. A caixinha de primeiros socorros pode garantir muito mais do que férias tranquilas e alegres, é ela uma das responsáveis por deixar sua saúde em ordem.

E se você já enfrentou um dor de cabeça enorme pela falta de um simples remédio durante uma viagem de final de ano, precisa conferir os itens que não podem ficar de fora do seu kit de emergências.

Comece pelos remédios diários

Antes de partir para os curativos e pomadas, lembre-se dos remédios que fazem parte do seu dia-a-dia. Eles devem ser os primeiros a ganharem um espaço na sua caixinha. Nesse grupo entram os anticoncepcionais, remédios para hipertensão, diabetes e outros comprimidos já receitados pelo especialista. E não se esqueça de conferir quantos comprimidos você vai precisar durante a viagem, evitado imprevistos caso eles acabem antes da hora.

Analgésicos

Já pensou em passar parte da sua viagem com um daquelas dores chatas que tiram qualquer um do sério? É por isso que os analgésicos precisam estar presentes na sua caixinha de primeiros socorros. Mas é preciso cuidado na hora de escolher qual colocar na maleta. A opção certa é aquela recomendada pelo seu médico e qualquer idéia de automedicação deve ser excluída do seu repertório. O seu remédio habitual contra enjoo também deve constar na maleta. O exagero nos brindes pode ter consequências desagradáveis e é melhor estar preparado para elas.

Os curativos

Tombos, arranhões e pequenos cortes são comuns durante as viagens. Um curativo feito logo após o machucado evita complicações, como a formação de inchaços e de pus. Para isso, leve com você gaze, esparadrapo, água oxigenada, antisséptico e band-aid.

Cuidados com a pele

Se você está no grupo que não consegue passar uma viagem sem aquelas marcas horríveis de picada de inseto, aposte nos repelentes e nas pomadas que acabam com a coceira (desde que elas tenha sido indicadas pelo seu médico em outra situação parecida). Os protetores solares também não podem faltar na sua bagagem, além de um bom hidratante para acalmar a pele após um dia de curtição no sol.

Crianças

Quem sai com elas precisa estar prevenido. A primeira medida é levar com você os medicamentos que o pediatra costuma recomendar. Mas, notando qualquer reação estranha, não deixe de buscar ajuda médica. Não é recomendável a automedicação em crianças, pois a família não sabe interpretar os sintomas e pode até dar algum
remédio indevido. Um antitérmico pode aliviar uma febre, por exemplo. Mas o remédio não resolve uma infecção, só mascara.

Segundo especialistas, pessoas que sofrem de cinetose não conseguem adaptar os órgãos responsáveis pelo equilíbrio (como o labirinto, que fica na orelha interna) a esta situação, o que causa mal estar. Alguns alimentos, no entanto, evitam ou aliviam as crises e contar com eles pode ser a diferença entre uma viagem insuportável ou um trajeto como outro qualquer. Veja quais são as sugestões dos especialistas:

Maçã
Alimentos ricos em fibras, como a maçã, ajudam a limpar o organismo de substâncias químicas que favorecem a náusea. “Além disso, ela é um alimento que não é totalmente aproveitado pelo organismo, o que facilita sua digestão”, afirma o nutrólogo Fernando Bahdur Chueire, da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).
A melhor maneira de consumir a fruta é in natura.

Biscoito água e sal
O amido, presente no biscoito água e sal, ajuda a absorver ácidos estomacais e acabar com a sensação de enjoo. Ele também está presente em pães e torradas, mas, neste caso, prefira as versões integrais, que ainda contêm fibras.

Água
Dar pequenos goles de água ao longo do dia ajuda a manter o corpo hidratado, o que evita dores de cabeça que costumam acompanhar o enjoo. Mas nutricionistas recomenda evitar a ingestão excessiva, especialmente durante refeições. Beber demais enquanto se come atrapalha a digestão, o que pode causar náuseas.

Isotônicos
Isotônicos ou bebidas esportivas não são indicadas apenas para atletas. Repor nutrientes como potássio e sódio também pode ajudar quem sofre de enjoos. Nutricionistas recomenda apenas que a ingestão seja feita gradativamente. Grandes quantidades de líquido distendem o estômago, que é um músculo, o que estimula
náuseas.

Banana
Quem sofre de enjoos ainda pode apresentar deficiência de potássio. Ela é rara, mas pode acontecer e, neste caso, a banana é um alimento recomendado para a reposição desse nutriente. A deficiência de potássio pode causar fadiga, fraqueza, cãibras e paralisia intestinal e essa baixa movimentação pode gerar desconforto abdominal.

Tudo é muito pessoal, mas tem coisas que não podem faltar na farmacinha de ninguém, tais como:

  • Remédio para uma possível dor de cabeça;
  • Antiácido; Remédio para o fígado (se caso você passar mal como eu, é uma ótima pedida);
  • Remédio para febre;
  • Remédio para gripe;
  • Pomada para dor muscular;
  • Antialérgico (no meu caso que tenho rinite, é essencial);
  • Bombinha para bronquite (se você tiver bronquite, como eu);
  • Algum tipo de laxante natural (se você sofre quando está em outros banheiros que não seja o seu);
  • Anticoncepcional, se for o caso;
  • Algum comprimido que sirva como relaxante muscular (se você exagerar na caminhada, como eu);
  • Band-aid;
  • Colírio.